Considerazione sui sistemi di rappresentanza degli italiani all'estero.

Edoardo Pacelli 21 febbraio 2002

È stata convocata a Roma, per il prossimo nove febbraio, la Commissione Diritti Civili, Cittadinanza del CGIE, per una riunione dove dovrebbero essere studiate e proposte modifiche alle leggi di Riforma dei Comites e del CGIE. ITALIAMIGA ne ha avuto conoscenza perchè uno dei quattro rappresentanti del CGIE del Brasile, Walter Petruzziello, si è assunto l'onere di divulgare l'operato della istituzione e di sollecitare e ricevere contribuzioni in termini di idee e proposte, dai suoi rappresentati brasiliani.  Abbiamo ricevuto alcune proposte che potremmo sintetizzare così: 
    · Alle ultime elezioni del Comites hanno partecipato alcuni elettori che non ne avevano il titolo. Infatti in alcuni seggi sono stati ammessi a votare persone che sostenevano di aver avviato la pratica di ottenimento della nazionalità italiana senza peraltro averla ottenuta. Non si è avuta uniformità di comportamento dei vari commissari. Perchè ciò non si ripeta, si ritiene necessario che alle prossime elezioni gli aventi diritto vengano convocati con una cartolina e quindi solo chi ne è in possesso potrà votare o chi possa esibire l'apposi to certificato elettorale. 
    · Per il CGIE il criterio adottato alle ultime elezioni non è valido. Sono state ammesse a votare solo una parte delle associazioni secondo le simpatie dei vari consoli generali. Si suggerisce che siano gli elettori che eleggono i Comites, ad eleggere anche i membri del CGIE. L'elezione sarebbe molto più democratica.

Qui di seguito altri suggerimenti ricevuti via internet

Sugestões para a lei dos Comites

1 - Sejam retirados os cooptados
Justificativa - os cooptados são eleitos pelos membros do Comites e acaba virando moeda de troca para eleger a diretoria

2 - que seja esclarecido o que significa " estrangeiro de origem italiana"
J - filho de italiano é italiano ou "estrangeiro de origem italiana", um italiano naturalizado brasileiro é "estrangeiro de origem italiana", como pode ser estrangeiro se é nascido italiano, um italiano naturalizado uruguaio e residente no Rio de Janeiro é "estrangeiro de origem italiana". A lei italiana diz que a pessoa já nasce italiana não é preciso requer cidadania, apenas apresentar os documentos dos ascendentes.

3 - que sejam abertas vagas para os italianos de origem estrangeira nas próprias listas, para que sejam eleitos pela comunidade. Por exemplo : onde são 12 membros eleitos sejam eleitos até 4 membros (1/3) de estrangeiros de origem italiana.
J - a comunidade elegendo, são vão ser eleitos para participar do Comites pessoas que realmente participam das atividades da colônia.

4 - que nas eleições do CGIE só participem os membros dos COMITES.
J - a participação das associações no CGIE, também é moeda de troca na hora de escolher os cooptados. Algumas vezes uma associação pode ter 3 ou mais votos no CGIE, pois pode indicar 2 ou mais cooptados para o Comites e ter um representante nas eleições do CGIE.

5 - que os membros dos COMITES possam acompanhar e/ou fiscalizar as verbas enviadas pelo governo italiano para serem utilizadas em benefício da colônia e não se limitar apenas a dar parecer favorável para o envio dessas verbas sem saber como foram utilizadas as recebidas no ano anterior.
J - hoje o Comites apenas emite parecer favorável ou não sobre os pedidos feitos pelas associações, sem poder analisar ou dar sugestões sobre a utilização das verbas. Também não pode acompanhar ou fiscalizar a utilização dos recursos