Illy e a revolução "cultival" do café'

por Edoardo Pacelli da ANSA

Ernesto IllyO Brasil está voltando a ser o País do café. Graças à tecnologia transmitida aos fazendeiros brasileiros pelos técnicos da indústria de café italiana Illy, com sede em Trieste. Uma grande festa realizada em São Paulo, promovida pelo decano dos "torrefatori" triestinos, Ernesto Illy, reuniu os maiores produtores de café do Brasil para celebrar os primeiros dez anos da que vem considerada a revolução da cafeicultura. No primeiro centenário da invenção do café espresso, a família Illy está tentando convencer os produtores brasileiros a procurar na qualidade a saída da crise que há anos domina o setor. O Brasil é o maior produtor mundial de café, mas o perfil da cultura mudou nos últimos decênios: a espécie "robusta", rica em cafeína e com preços ínfimos no mercado, vem substituindo a "arábica", que garante maior qualidade ao consumidor e rentabilidade para o agricultor, para satisfazer a demanda da indústrias multinacionais de café solúvel. É justamente este quadro que Illy está revertendo.

Para conseguir este resultado, há alguns meses, a família Illy criou a Universidade Illy do Café em colaboração a maior universidade de São Paulo, a USP. "Estamos provocando mudanças radicais de mentalidade no Brasil - afirmou Illy - e aqui, enfim, estão compreendendo que a qualidade na xícara representa o único modo de aumentar o número de consumidores". Assim as plantações brasileiras, pela primeira vez, estão invadindo o cerrado, a área semi-árida do planalto central, onde acima dos mil metros de altura se consegue até superar a bondade do procuradíssimo café da serra colombiano. Nathan Herszkouvicz, presidente do sindicato da indústria do café do estado de São Paulo, está convencido que "Illy está escrevendo a nova história do café no Brasil". Em ordem de produção, os estados de Minas Gerais, Espírito Santo, São Paulo e Paraná, estão se levantando de uma crise que dura trinta anos e recuperando a imagem do Brasil como País do café por antonomásia.

A tazzulella 'e cafè