Informação ou manipulação? (4)

Edoardo Pacelli - julho 2003

Geppetto di Capodimonte (Na)Que o jornal O Globo, não goste muito da Itália é um fato incontestável e que odeia Berlusconi é ainda mais claro.Vejamos a declaração de Caetano Veloso publicada no Globo de domingo, 20 de julho: "Lula é impecável em matéria de ética e honestidade, coisa rara na política italiana". Até aqui, nada de estranho e como se alguém me entrevistasse e eu declarasse que "Ciampi é impecável em maneira de ética, coisa rara na política brasileira", ninguém poderia contestar-me, poderia não concordar completamente, mas não poderá desmentir-me. O problema grave, na minha opinião, é o veneno contido na frase que acompanha o nome do autor do comentário: "CAETANO VELOSO em entrevista coletiva na Itália de Berlusconi". Era necessário acrescentar na Itália de Berlusconi? E com os outros governos de esquerda, havia honestidade e ética? Não dá para refletir o fato de que Caetano Veloso, que está obtendo clamoroso sucesso na Itália, pudesse expressar livremente sua opinião, numa entrevista coletiva, sem seqüelas para suas futuras vindas em meu País? É possível que ninguém, aqui no Brasil, pare um pouco para refletir no fato que, apesar das campanhas na Itália contra Berlusconi, com as três redes de TV principais na mão dos partidos do precedente governo, todas fazendo propaganda contra o atual primeiro ministro, e com 70% da mídia impressa que pertence aos opositores, mais de 52% de cidadãos italianos votaram nele? São todos idiotas e ignorantes? Corruptos, talvez? Não dá para refletir que, desde o momento que Berlusconi se apresentou na cena política foram abertas contra ele, sobre algo acontecido nos anos 80, algumas centenas de processos e, até agora, este político italiano sempre foi absolvido? Faltam, apenas, dois processos, claramente influenciados por uma parte da magistratura politiqueira, processos que, curiosamente, foram sempre aparecendo nos importantes momentos dos compromissos internacionais do primeiro ministro. A lei que foi ultimamente aprovada suspende os processos, não os elimina, como a imprensa manipulada ou mal informada anda divulgando. Trata-se da mesma lei que protege o Presidente Chirac, há anos, de miríades de processos na França (e ninguém fala dele chamando-o de criminoso). É similar à lei que os parlamentares europeus aprovaram, com unanimidade, há pouco tempo, incluindo, portanto, os parlamentares italianos que tanto estrepitam, na Itália, contra Berlusconi. Esta minha exteriorização não quer convencer ninguém a tornar-se berlusconiano, mas serve apenas como um convite para que as pessoas possam refletir um pouco. É fato notório que o grupo O Globo não gosta de Berlusconi por motivos ligados à TV Montecarlo, mas esta briga não pode acontecer às custas de uma correta e completa informação.