Obras "irregulares" não devem parar!

Célio Lupparelli *

O rpofessor Célio LupparelliNa semana passada, finalmente, o Jornal O Globo noticiou que o presidente Lula liberou as obras vetadas pelo Tribunal de Contas da União. Mas antes disso já tínhamos ouvido do nosso presidente, frases do tipo: "As obras da Copa de 2014 não devem passar por fiscalização nem serem embargadas por questões ambientais para que não sofram atraso", e ainda: "Essas obras devem ter tratamento especial, pois há um prazo determinado pelo Comitê Organizador da Copa".

Pela vontade de Lula, a fiscalização ambiental (federal, estadual e municipal), a Controladoria da União (e de outras esferas) e o Tribunal de Contas da União (também os tribunais de contas dos Estados e os dos Municípios), devem facilitar, ou usando suas palavras, fazer "vista grossa" em tudo que seja para o bem da Copa do Mundo.

Parece brincadeira!... A minha avó já dizia que "é melhor ouvir isto que ser surda!..." Mas, convenhamos, o Presidente da República de um País maculado por inúmeros casos de corrupção endêmica e por desastres identificados como causados por desmatamento e outras diversas agressões ambientais, como constatamos há alguns dias em Angra dos Reis e em todo o Grande Rio, dizer isto é, no mínimo, leviandade... Ele deveria fortalecer a idéia de fiscalização ambiental e de controle dos gastos públicos, e não, proferir estas idéias irresponsáveis, sendo ele uma pessoa que conta com o apoio de setores da Sociedade interessados na especulação.

Parece, também, que o presidente Lula não esteve em Copenhague algumas semanas, onde foram discutidas pelas lideranças de todo o Mundo as questões ambientais como o aquecimento global. Lá, ele fala uma coisa; aqui, outra completamente antagônica.

A sua pressa não reside na preocupação com a realização da Copa do Mundo em 2014, mas nas eleições deste ano de 2010. E tome PAC... e tome Dilma!

*Célio Lupparelli é professor, médico, administrador, pedagogo