Uma batalha foi vencida... mas e agora, o que fazer?

 

Célio Lupparelli - Professor, Medico, Pedagogo, Administrador

           

 

O professor Célio Lupparelli É evidente que os bandidos que infernizaram o Rio de Janeiro mereciam um basta! Suas atitudes imperdoáveis criaram uma situação de desespero nos cidadãos de bem e o Estado tinha o dever de atuar.

            Até aí, tudo bem. Uniram-se as polícias Militar, Civil e Federal, as Forças Armadas e a Mídia (especialmente a TV Globo).Todos esperávamos um desfecho mais difícil, pois as autoridades contabilizavam mais de 500 bandidos bem armados no local. Daí, todo o aparato do Governo para enfrentar um inimigo que se apresentava perigoso. Tanques, caveirões, helicópteros, cobertura jornalística e um espetáculo que poderia ser dispensado no tocante à parte pirotécnica.

            Para surpresa geral, a tomada do Complexo do Alemão foi muito fácil. Poucos bandidos foram presos; poucas vítimas fatais, algumas armas apreendidas e boa quantidade de drogas. Dos chefões do tráfico, só três. O que aconteceu? Os bandidos são espertos ou houve acordo para a fuga? Com tantos recursos materiais e de pessoal não era de se esperar mais prisões?

            Podemos comemorar o fim das "atitudes terroristas" das últimas semanas, mas devemos ficar de olho aberto com o futuro, pois esse "negócio de droga e de arma" dá muito lucro para muita "GENTE GRANDE". Não nos iludamos... De qualquer forma, houve uma ação do Estado. A Sociedade teve uma resposta. Durante algum tempo, haverá trégua e paz na área do entorno do Complexo do Alemão.

            Além da facilidade da tomada da região, causam-nos espanto, contudo, outras questões: Por que essa operação não foi feita anteriormente aos atos terroristas, se todos sabíamos que ali estavam os grandes traficantes? Por que os domicílios dos humildes moradores foram violados e saqueados? Quando essa ocupação militar do local for encerrada, qual será a garantia para os que lá vão permanecer? Onde estão os bandidos que não foram presos?

            Parte da mídia está divulgando as atitudes de policiais invadindo domicílios, saqueando e danificando patrimônios e agredindo pessoas. Há relatos de crianças e idosos com crises emocionais pelo clima de guerra decorrente da invasão superestimada do Estado. Tomara que a vida daquela gente melhore... As autoridades, agora, têm que ocupar o local com os serviços essenciais como educação, saúde, lazer, cultura, saneamento, segurança e tudo mais que dignifica a pessoa humana. Não há mais desculpa para não fazê-lo, pois “ESTÁ TUDO DOMINADO”.

            Se não houver cuidado, aquela comunidade vai passar das mãos dos traficantes para outro Poder Paralelo. CUIDADO!!! Foi assim que as Milícias cresceram, pois o Estado não fez a sua parte.